As noites em Angola #2.03

(Maianga, Luanda)
Descobri ontem que no nosso cliente cá tenho dois ex-colegas de curso. Com ela já tinha falado em Maio e as probalidades de a encontrar cá, dada a sua nacionalidade, eram grandes. Mas, ele... ele que se apresentou a mim  na altura da praxe como madeirense,... não estava nada à espera. 

Ele não é madeirense, ele é 'cubano', só que na altura namorava com uma madeirense, agora esposa e mãe dos seus filhos. Ele era até bem pouco tempo o único 'cubano' que conhecia com sotaque madeirense. 
Falamos sobre o passado. Ele perguntou-me pelo meu ex-namorado. Não o G.,... perguntou-me pelo P. que era do curso da mulher e que é madeirense. Perguntou-me pela Fátima e sobre as minha idas à Madeira. Fizemos imensas perguntas um ao outro. Demos respostas cheias de entusiasmo como se nunca tivessemos acabado o curso ou estado anos sem nos ver. 
Fiquei surpreendida com uma frase dele:
- Tu nunca perdeste o sotaque!
Nunca fiz esforço para tal. :) 

Vou jantar a casa dele um fim-de-semana destes!
Foto tirada pelo BB, pelas 17h40m, do terraço do prédio onde estou a trabalhar. 



As noites em Angola #2.02

(Maianga, Luanda)Hoje jantei no Bahia. Só volto a ter jantaradas destas quando os chefes voltarem a Angola. A partir de amanhã estou sozinha com um colega.

Fotos horríveis tiradas com o meu BB. Quero andar com a minha máquina... mas, não posso, não durante a semana!  
E sabiam que tenho que ter cuidado com as fotografias? Não podemos tirar fotos com polícias por perto, pois corremos o risco de ter o material confiscado. :(

As noites em Angola #2.01

(Maianga, Luanda) Ontem jantei num restaurante à beira-mar!
O restaurante chama-se Caribe. E comi uma massa com marisco que vai ao forno em papelotes de alumínio. Quando voltar a Portugal vou tentar fazer a receita. :)
A foto está horrível porque fui directamente do trabalho para a praia e foi tirada com o telemóvel da empresa , um Nokia.

Musicoterapia: I'll show you a place high on a desert plain where the streets have no name

(Maianga, Luanda) 
Duas das minhas bandas preferidas vão dar concerto em Portugal - Pearl Jam e The National - separados por um intervalo de 8 dias. E eu não vou poder ir a nenhum dos concertos.
É o castigo para quem já viu Metallica, Snow Patrol e Muse este ano!  E tem bilhete para U2 em Outubro. :)


Música: Muse and The Edge - Where The Streets Have No Name

I love the feeling when we lift up watching the world so small below

Regresso a terras africanas depois de fazer a desintoxicação de 5 semanas cá. Adoro o céu africano e as pessoas de lá. Desta vez levo máquina e prometo colocar cá fotos.



Música: Death - White Lies

"They´re just moments. They´re not life…" #02

[about the Mona Lisa] 
Betty Warren: [ironically] Look at this, mother. She's smiling. Is she happy? 
Mrs. Warren: The important thing is not to tell anyone. 
Betty Warren: She looks happy, so what does it matter? 
from the movie: Mona Lisa smile
Autor da fotografia: Sérgio Pinheiro. 
Ver mais aqui.

soltas #03


"I love inscriptions on flyleafs and notes in margins. I like the comradely sense of turning pages someone else turned and reading passages someone long-gone has called my attention to. "

Helene Hanff 's 84 Charing Cross Road




Let your memories grow stronger and stronger

Há um ano estava a trabalhar no Porto.
Este ano estou a preparar a bagagem para rumar ao sul. 
Imagem de: BlackPio

Música: Regina Spektor : The Call (ver vídeo)

haven't had a dream in a long time



Adoro sapatos. Adoro bolsas. Adoro vestidos. 
Ontem deram-me a conhecer esta marca: Cafè Noir. Não conhecia, admito. Admito também que passei meia-hora a deliciar-me com pequenas peças de arte.
Quero estes sapatos, a bolsa e se não for pedir muito, o vestido também.  


Música: The Smiths - Please, Please, Please, Let Me Get What I Wan (ver vídeo)

Sou como tu Da mesma luz Do mesmo amar

Sempre quis ter mais irmãs. Numa família de muitos homens eu e a minha irmã nunca nos demos bem até chegarmos aos 20 anos. Só aí apercebermo-nos que apesar do sangue ser o mesmo nunca fomos compatíveis.
Talvez precisassemos de perceber que somos diferentes. Só aí ficamos ligadas para sempre, só quando chegamos à conclusão de que conseguimos nos tolerar e que ela precisa de mim e que eu preciso dela. Só aí conseguimos ser amigas... até hoje e até ao fim da nossa vida! 
A minha irmã tem dois filhos rapazes. Ela, na segunda gravidez chegou a apostar comigo em como não iria realizar o meu sonho de ter sobrinha. E ganhou a aposta.

A minha cunhada M. está grávida de uma menina. Será também minha afilhada, a bebé do meu irmão N. A minha sobrinha nasce em breve. Está quase. Tenho recebido fotos da barriga da minha cunhada.Dei por mim a imaginar a cara da minha sobrinha. A primeira mulher a nascer na família há 17 anos. E tenho orgulho na minha cunhada e no meu irmão que após 7 anos de casamento e depois de tudo o que passaram vão conseguir realizar o sonho de ser pais.   E eu, como tia babada e madrinha orgulhosa só consegui dedicar este post a ti, minha linda, depois da tua mãe me confimar que também quer que nasças naquela data que sabemos. :)
 
Música: MadreDeus - Vem (ver vídeo)

Purify the colours, purify my mind, and spread the ashes of the colours Over this heart of mine!


Ao limpar o google reader encontrei o teu blog
Amigo, não fui capaz de apagar o teu blog! Não fui capaz de te apagar para sempre. Já bastou não conseguir te ver pela última vez
Quero guardar para sempre a imagem saudável e inteligente da pessoa que eras. 
Quando o Saramago morreu na semana passada lembrei-me logo de ti e da nossa mega-discussão sobre "A Jangada de Pedra".  Eu queria pontos, vírgulas... ordem no pensamento e clareza nas ideias. Mas tu não. Tu és o culpado de eu apreciar a escrita dele. 
Tu foste um grande influenciador na minha vida.  
Sinto a tua falta! 
Quando vou à Madeira e cada vez que entro naquele café do Estreito que era do teu tio lembro-me dos nossos debates e de como gostariámos que a nossa terra fosse. 

Chorei no dia da tua partida. Mas, sinto e choro constantemente a tua ausência. 






Música: Arcade Fire - Neighborhood #1 (Tunnels) (ver vídeo)

Desbloqueador de Conversa #01

Porque nos últimos dias tem sido mais falado que o tempo e que as vuvuzelas. 
Porque tem sido mais citado que as frases do Queiroz. Aqui vai a minha singela homenagem.

"(...)Graças às gerações que estão para vir e ao consequente desenvolvimento da construção civil, não tarda muito que comecem a inventar-se maneiras menos dispendiosas de aguentar uma parede de pé, de facto é num Cemitério Geral que os resultados do progresso se encontram mais à vista dos estudiosos ou simples curiosos, há mesmo quem afirme que um Cemitério assim é como uma espécie de biblioteca onde o lugar dos livros se encontrasse ocupado por pessoas enterradas, na verdade é indiferente, tanto se pode aprender com elas como com eles. (...)" in Todos os Nomes

Leiam este artigo e esta entrevista.

Filme: Nothing Personal

Ontem fui ver o filme "Nothing Personal".
Só percebi que este filme ganhou uma data de prémios quando deram início à sessão. Nada que me fizesse pensar que o filme seria assim tão bom! 


O que somos hoje é graças à experiência do nosso passado. Mas, precisamos de andar a explicar como somos e porquê somos a todos os que nos querem conhecer? Não basta apenas aprenderem a gostar de nós tal como somos? Partilhar o aqui e o agora. Mesmo quando essa partilha é uma partilha de nada. 
Um filme sobre querermos desaparecer quando uma relação falha. Sobre a procura de nós próprios, sobre a solidão e o saber estar só. Não é querer ser anti-social é querer mesmo estar isolado de tudo o que nos fere, magoa. É querer afastar tudo o que achamos mau de nós. Mas, será isso viver?  Porque no fundo, no fundo somos uns animais sociais e precisamos sempre de alguém que nos ajude a dar valor a esta caminhada a que chamamos de vida. Gostei muito do filme!

I need a detailed description A representation of some kind

A kelle  lançou-me um desafio.   
O desafio consiste em revelar 6 coisas que não saibam sobre mim. Aqui já foi mencionado algumas coisas sobre mim e até sobre as minhas esquisitices. Mas, um desafio é um desafio e espero surpreender sempre alguém com a minha pessoa. :)
  1. À primeira impressão acham-me inacessível e de poucos amigos e sou exactamente o contrário. Apenas gosto de ter a fase de análise e de primeiro impacto.
  2. Adoro um bom vinho! Adoro comer demoradamente e saborear vinho. Adoro cozinhar para muita gente ao sabor de um bom vinho.
  3. Sou a neta mais velha do lado materno. No total de 22 netos. 
  4. Do lado paterno, não sei qual é a minha ordem pois somos 40 ou mais se as minhas contas não estão erradas, não é fácil quando temos família dispersa pelo Brazil, Venezuela e França. Tenho uma prima da idade do meu pai e eu não sei se sou depois da C. ou depois do J. Só sei que sou antes da WOAB e que o H., o filho da minha prima mais velha, é mais velho que eu 6 meses.
  5. Gostaria que o meu irmão mais novo entrasse na Universidade cá em Lisboa. Ele viveria comigo. 
  6. Faltei ao exame de Português de acesso à Universidade para maiores de 23 por estar em Angola. Adiei o meu sonho de tirar outro curso por mais um ano.
  7. A maioria dos meus amigos são rapazes. Algumas pessoas não percebem que pode haver amizade sincera entre um rapaz e uma rapariga sem necessidade de algo mais e às vezes tenho problemas por causa disso. :(
Não lanço o desafio porque sou o tipo de pessoa que quebra estas correntes. É a 7ª coisa sobre mim. Um bónus. :)
Música: Lamchop - Slipped dissolved and loosed (ver vídeo)

"They´re just moments. They´re not life…" #01

Larry: [on a photography exhibit] What do you think?
Alice: It's a lie. It's a bunch of sad strangers photographed beautifully, and... all the glittering assholes who appreciate art say it's beautiful 'cause that's what they wanna see. But the people in the photos are sad, and alone... But the pictures make the world seem beautiful, so... the exhibition is reassuring which makes it a lie, and everyone loves a big fat lie. 
from the movie: Closer
Autor da fotografia: Porfírio Faria. 
Ver mais aqui.

soltas #02


"I know you despise me; allow me to say, it is because you don't understand me." 
Elizabeth Gaskell's North and South



Mundial 2010 #01


Sim... por aqui também se fala de futebol! As tácticas para vencer continuam a passar ali ao lado. Deste lado interessa-me saber quem joga e quando. Tudo o resto vem por acréscimo.
E neste momento joga um dos meus jogadores preferidos.
Mais informações sobre o Casillas.

Big or small it makes no difference We're gonna tell them what shape you'll be

"What's the matter with you guys? The sight of blonde hair knocks you three rungs down on the evolutionary ladder." From the television show Civil Wars 



A cor do cabelo é assim tão importante? É ela quem nos faz quem somos?
Herdei a cor de cabelo do meu pai, apesar de usar madeixas há 5 anos
E o tipo de cabelo realça a nossa cara?
Herdei o cabelo ondulado da minha mãe. E tenho um remoinho igual ao meu irmão A. na zona da testa.
O comprimento chama à atenção?
Eu já usei o cabelo curtinho. Já usei pela orelha. Já usei o cabelo pelos ombros. Voltei a tê-lo comprido abaixo dos ombros. Sempre quis ter o cabelo liso como o da minha irmã. Daqueles lisos que estão sempre lisos e sem chocas. Daqueles lisos que não aguentam penteado nenhum. Mas, o meu, mesmo quando tratado por profissionais nunca fica liso. Horas depois, os caracóis ganham força.
Hoje tenho o cabelo tão grande como há 14 anos atrás. Mas nunca o tive liso totalmente. Ultimamente consegui que ele se transformasse em algo sedoso e fácil de pentear e muito mais liso do que antes. Consegui graças aos shampôos Schwarzkopf... e um pouco graças ao alisador. Reparei também que ele agora dá mais na vistas. 

Música: Gossip - Fire with Fire (ver vídeo)



Take a walk in the park, take a valium pill

As insónias! 
Uma semana quase sem conseguir dormir mais que duas horas seguidas, a quantidade de pensamentos que nos cercam, o cansaço físico, as olheiras, a camisa da noite a enrolar-se pelo corpo. Há coisa pior do que ter insónias no Verão e dormir de camisa da noite? Rica a hora em que a vesti. :( .. 
O nosso temperamento modifica. O meu estado de humor não podia estar pior! Irritadiça e de poucas palavras.  O corpo já pedia por descanso. Por uma noite inteira a dormir. Não queria mais que isso. 6 horitas de sono seguidas.O corpo pedia por descanso, a mente pedia repouso. E de algum modo, um negava ao outro tal benefício. A culpa é da cabeça que está sempre a processar informação ou é do corpo que não se cansa?
Não. A culpa é da almofada...  da suplente! :)

Uso almofadas duras. Gosto de almofada e colchão duro. 
Ao lavar as almofadas ortopédicas coloquei-as de lado e passei a usar umas normais. Acordava de hora a hora. Às vezes nem dormia. Esta noite, lá pelas 4 da manhã mudei da almofada mole pela dura et voilá... dormi descansada.

Música: Belle And Sebastian - Sleep The Clock Around (ver vídeo)

Hope you got what it takes, don't apply the brakes

As explicações à Jessica fizeram renascer um bichinho dentro de mim. Têm me deixado de rastos. Nunca pensei que rever todo o 9º ano me deixasse assim, desde Matemática ao Português passando por Ciências, Física ou Química eu tenho sido uma espécie de professora de tudo. 
O lado positivo de tudo é que eu gosto de lhe dar explicações e vou continuar a fazê-lo. 
A nova empresa é mesmo o que estava a precisar. Novos desafios. Novas pessoas. Novas regras. Novos ambientes. Eu continuo a ser geek. :)
Vou voltar a Angola dentro de umas semanas. Estive lá em Maio e adorei aquele país. Voltarei lá dentro em breve para iniciar a primeira das fases mais longas do projecto. 
Tenho saído com amigos que há muito tempo não saía. 
Vi as séries todas que tinha decidido ver. Estou neste momento sem ver séries. Uma das razões é porque ainda não tive coragem de ver Doctor Who sem o David Tennant. :S
Fiz um pacto comigo própria em que tenho que ir ao Ginásio pelo menos 3 vezes por semana. Body Jam é a minha nova paixão. Vou todas as quartas e sábados, o outro dia só nado... nado para preparar-me para o curso de Mergulho que tenho vindo a adiar e que irei fazer até final do ano. 

E agora que apanhei o ritmo, não consigo parar. 
Ando com insónias mas talvez as insónias sejam do ritmo acelerado com que ando. No lo sei. :P  

Música: St. Trinian's OST - On my way to satisfaction (ver vídeo)

There is only one thing on our minds

O Campeonato de Clubes em Atletismo decorreu este fim-de-semana no Estádio Universitário.
Acompanhei a O. 
Estive sempre ao lado dela. 
Somos amigas desde os 10 anos. 
E ela está lá para mim e para a S. assim como eu e a S. estamos para ela... para o que der e vier. :)


Música: Metallica - Seek and Destroy

Livro: A arte da simplicidade

A arte da simplicidade é um livro muito, mas mesmo muito interessante.
É talvez um dos livros mais interessantes que li sobre o assunto.
Simples, objectivo e realista.

Recheado de frases com que nos indentificamos, não consigo deixar de mencionar aquela que passou a ser o meu mantra:

"É melhor ter desejos maravilhosos que realidades medíocres."



soltas #01


"I wonder if it can be good for her to read so many novels?"
Jane Austen's Northanger Abbey


Body Jam

"A vida é curta. 
Quebra as regras, 
vive intensamente, 
deseja ardentemente, 
perdoa rapidamente, 
beija demoradamente, 
ama verdadeiramente,
ri incontrolavelmente e nunca deixes de sorrir, 
por mais estranho que seja o motivo! 
A vida não pode ser a festa que esperávamos, 
mas enquanto estamos aqui, deveríamos dançar!" 

Às quartas e sábados estou caidinha no ginásio. E só não vou às aulas na terça-feira porque a aula começa demasiado cedo. Nesse dia uso piscina. 
Adoro estas aulas.


Musicoterapia: Captain of my Soul

Cada vez que ouço esta música lembro-me do filme Invictus e da força que ele me transmite. 
Com o Mundial de Futebol a chegar é um bocado cliché falar no filme, mas é um grande filme e esta música apesar de não ter nada a ver com o filme ajuda-me a superar todas as adversidades.  






Música: Rita RedShoes - Captain of my soul

You say that, 'No one's gonna listen, and no one understands'

Apercebi-me que no meu desabafo anterior posso ter dado a entender que não estou disponível para paixão ou amor. Mas, estou! Não estou é disposta a assumir o lógico e porque dá jeito! 
Talvez por isso queira um Mr. Thornton ou um Mr. Darcy! (vejam este site. :))
Talvez por isso queira ter o estomágo com efeito borboleta. 
Talvez por isso queira alguém que me faça sorrir.
Talvez por isso queira alguém que me dê liberdade.
Talvez por isso queira o impossível. 

"Há coisas que não são para se perceberem. Esta é uma delas. Tenho uma coisa para dizer e não sei como hei-de dizê-la. Muito do que se segue pode ser, por isso, incompreensível. A culpa é minha. O que for incompreensível não é mesmo para se perceber. Não é por falta de clareza. Serei muito claro. Eu próprio percebo pouco do que tenho para dizer. Mas tenho de dizê-lo.O que quero é fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão.Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria. Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado.Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas. Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço.Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje.Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos,bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas.Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo? O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha.Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental".Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice,facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz.É uma questão de azar. O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto.O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor.A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição.Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe.Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma.É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária.A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser.O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida.A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre.Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente.O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir. A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a Vida inteira, o amor não. Só um minuto de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também."  Miguel Esteves Cardoso


Música: The Antlers - Two

Série: North and South (BBC)

Se há algo que eu gosto esse algo chama-se série de época da BBC.
Norte e Sul estava na lista de TBS (To-Be-Seen) há alguns anos e eu vinha a adiar a visualização da mesma apesar das excelentes reviews no Light, Cameras & History.


Acreditam que tudo tem o seu timming? Que tudo está escrito e que há certas coisas que não estão mesmo destinadas a acontecer. E por mais que a razão diga que deva acontecer o coração aceita o não acontecimento. Que tantos acontecimentos e não-acontecimentos fazem da nossa vida um verdadeiro caso de estudo, as decisões que tomamos, os julgamentos que fazemos, as ideias que temos, os nossos objectivos de vida. Um dia analiso a minha vida com uma matriz de McFarlan.
Mas até lá, quem sabe, a vida deixará de ter mistérios sobre as razões dos acontecimentos. São eles que fazem da vida o que ela é. E se a minha vida tem tido imensos acontecimentos nos últimos tempos, ela também está recheada de não-acontecimentos. E são esses não-acontecimentos que me fazem o que sou hoje. Volto a dizer, é lógico que aconteça, mas sinto feliz por não acontecer. O meu coração sente-se bem. :)
Sou capaz de ser das poucas pessoas que conheço que acredita que é capaz de amar outrém mais que a nós próprios mas que já não é capaz de o fazer. Não acredito que é ainda possível amar com todas as nossas forças e ser capaz de mudar por amor. E sinto-me bem por o meu coração ser só meu e eu poder conseguir comandá-lo. 
Consigo comandar o coração, mas não o sorriso. A minha face hoje foi invadida por um sorriso parvo de satisfação ao ver os 4 episódios desta série. Bastaram 20 minutos de episódio para saber que não ia conseguir ir para a cama sem ver a série toda e escrever sobre a mesma. 
Ainda fui para a cama com o moleskine, mas, cada vez que escrevia algo surgia a adormecida, romântica e misteriosa patxi. 
Sou fã de séries de época, sou fã da história inglesa, sou fã de histórias inglesas de época. E esta série está tão, mas tão bem adaptada que eu não consigo resistir a vir-vos contar nem que seja às 3 da manhã... feliz, saudável, como se tivesse acabado de tomar uma canja para o corpo, mente e coração.





E se é verdade que, assumo aqui, sinto que não consigo voltar a ter um relacionamento com alguém, também é verdade que me derreto toda com a pergunta que o Thornton faz à Margaret no fim fazendo-me acreditar que um dia quem sabe...
Are you coming home with me?

Yeah, I'm missing something

Estou neste momento ao telefone contigo e ouço-te dizer que tens saudades de falar comigo ao vivo. Que a minha gargalhada é inconfundível. 
E tu... fazes-me rir. Ajudas-me a ser mais patxocas. Gosto de ti, amigo! 
Do blog: I can read.
Música: The National - Abel (ver vídeo)

I'm miles from where you are

Eu era do tipo de pessoa que achava que podia resolver tudo sozinha e que mal sabia dizer não quando me era solicitado algo. Mas, às vezes precisamos de gritar por socorro e de poder dizer bem alto: NÃO. 
Há momentos na nossa vida que necessitamos de pedir ajuda e há momentos em que não podemos ajudar. 
Há momentos em que queremos algo que os outros não nos podem dar.
Há momentos em que nem nós podemos oferecer algo. 
Não sabemos o quê é que queremos, sondamos nós próprios e colocamos na nossa lista de coisas a fazer várias hipóteses para no fim voltarmos ao ponto de partida e nada fazer. 
Mas, nem sempre é fácil de pedir ajuda e nem sempre é fácil dizer não.  
É difícil pedir ajuda mas não é errado.
É fácil dizer não mas não é o mais correcto.
Nem tudo na vida é tão simples como escrever um email... 


... ou apanhar um avião e ir ter convosco.

Música: Snow Patrol - Set The Fire To The Third Bar (ver vídeo)

Nota de redacção: A série IT crowd foi uma série que comecei a ver por causa da C.

Musicoterapia: The Suburbs


Uma das minhas bandas preferidas está de volta.  :)

Música: Arcade Fire - The Suburbs

I'm walking into spiderwebs


Ontem foi dia de um elemento do nosso grupo entregar o convite de casamento. 
Juntamo-nos e na casa de um outro elemento dos suspeitos do costume. A noiva fez o jantar, os gajos estavam viciados no Guitar Hero Band...e...eu, como sou sempre a única suspeita do costume, andava de mini na mão entre as duas divisões. 
Depois do jantar jogamos Bowling com a Wii. 
Antes de existir Wii e Guitar Hero eu era sempre elemento da claque. Agora gosto de jogos. Gosto a sério. 

Pena é que na Madeira os meus sobrinhos não me deixam jogar porque eu jogo mal. 
A Malta do costume é mais tolerante. :)
Música: No Doubt - Spiderwebs

Chances are we´ll find two destinations

Ontem fui ao cinema. Grande filme "O segredo dos seus olhos".
Saí do cinema com a sensação de que continuo a ter medo de arriscar e que não sei bem como escolher as minhas prioridades. 
Porque tudo é uma escolha que deriva da oportunidade e como diz o Pedro Mexia no seu blog: A escolha é uma selecção e neste momento a minha selecção não envolve 23 gajos a correr atrás de uma bola.
Neste momento a minha selecção é um conjunto de várias oportunidades. E sinto que ontem tive uma para perceber porque não fiz algumas coisas no meu passado. Ainda não sei se aproveitei bem a oportunidade ou não. 
O lado positivo é que a minha decisão, aquela que tenho sempre medo, é mesmo a de aproveitar o momento

E ontem foi tão bom... já tinha saudades tuas! A sério!


Música: Five for Fighting - Chances