Kiss The time That goes Away

Uma das minhas músicas preferidas de um álbum lançado no meu dia de anos há uns anos atrás.
Air é uma das minhas bandas favoritas e uma das bandas que de algum modo, e por ter descoberto novos sons, ouvi menos em 2009. Esperemos que a procura e o sentido de exploradora não mude no novo ano.

FELIZ 2010!





Música: Air- Another Day

Pela santa Liberdade Triunfar ou perecer

Ontem realizou-se o VI Jantar de bloguistas e twitteir@s.
Uma cara familiar, umas caras conhecidas do mundo virtual e outras tantas caras novas.
Sem máscaras. A partilha por uma paixão. O gosto pela escrita em 140 ou mais caracteres. ;)

As conversas foram longas, a comida excelente e o tinto foi uma coroa que não assentou em muitas cabeças. Mea culpa, meu caro. :)
Falou-se do futuro do país, ironizou-se sobre o futuro líder da JSD-Funchal, do Javi Garcia, do Wittgenstein, do FCP, do Sporting de Joaquim Agostinho e do do Paulo Bento, do Benfica, do Nacional, do União, do Marítimo, das avaliações dos professores, das avaliações dos operários, de principiados, de sonhos recorrentes, de sonhos que não recordamos, de ambições, do duche matinal a escovar os dentes, do duche nocturno para combater insónias, dos chás e do leite quente da meia-noite, da possibilidade de termos heterónimos e podermos ter vários blogues pessoais, da má gestão de tempo, do frio, do ar condicionado, de vinhos, sumos, estados alcoolicamente bem dispostos, estados temporários, de música, de livros, de gastronomia, de gastrosexuais, de irmãos, dos país, dos nossos segredos, do sabor favorito das pastilhas elásticas, de como estacionar tendo um arrumador de fato, do Carlos Carvalhal e do Rui Costa, da publicidade da optimus, dos cursos, das certificações, das escolas do passado, das escolas do presente, do tempo e de nada.
Foi um excelente jantar. Adorei.


Música: Vitorino - Maria da Fonte (ver vídeo)

I've been trying hard to do what's right

Família...
Os nossos! Os pais e os irmãos de sangue!

Não é bem a Família Adams mas por lá perto anda. Somos todos diferentes e um pouco iguais. Temos a mania que sabemos fazer tudo! A teimosia está no sangue! A independência é um comportamento silencioso adquirido com os anos. Uns estão dotados da incapacidade de saber pedir desculpa. Outros têm a inabilidade em admitir que não conseguem. A incontinência verbal de uns torna a desorganização de outros sem valor.
A manipulação dos mais fracos é um pequeno hábito que se tenta ultrapassar, mas num grupo tão forte quanto ao que pertencemos acaba-se por evidenciar-se o membro mais compreensivo. Aquele que coloca todos os seus planos de lado para agradar os restantes, aquele que se cala com medo de ferir suceptibilidades, aquele que por passar pouco tempo com os restantes quer tanto ser bem visto que acaba por ser submisso.

Essa submissão é silenciosa e dolorosa. Não são os sacrifícios ou os esforços que fazemos pelos outros, isso torna-nos úteis e formamos a ideia de que somos indispensáveis, é a incapacidade dos restantes em compreender que também há esforços a fazer para podermos ser felizes, que a nossa felicidade não depende só de fazer os outros felizes, que é necessário que haja alguém capaz de fazer um esforço por nós, um pequeno sacrifício... um pequeno gesto! Às vezes é o que basta para podermos ganhar mais forças para continuar a fazer de tudo para tornar o Mundo feliz. Um pequeno gesto dos nossos...



É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado.
(Madre Teresa de Calcutá)


Música: The Killers - The River is Wild (ver vídeo)

Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu.


Imagem daqui.

E já cá estou! Cá estarei até dia 07.


Música: Margarida Pinto - Apontamento

Through many dangers, toils and snares I have already come;

Vão manter as portas ao longo de toda a noite? A sério?
Se eles não cumprirem com isso, juro que desta vez faço reclamação às mais altas instâncias.
Estou cansada, cansada de listar acções que podem dar vida ao Estreito. Cansada. E que me dizem? Diz isso à tua mãe!
Ficava triste por não dinamizarem uma zona tão linda e rica. Ficava triste por não ver as coisas acontecerem. Até que comecei a arregaçar mais as mangas e inflitrar-me. Não pertenço a nenhuma direcção nem sou membro activo, mas, no meu papel de consultora tenho conseguido obter mais reacções do que os verdadeiros membros. Em Setembro andei de moleskine a apontar ideias e a ouvir as pessoas.
Será que vão colocar em prática algumas das sugestões que lhes passei?
Se sim, óptimo. Acho que vão apreciar imenso e as queixas diminuir! Vamos ver. ;)

E eu, amanhã vou estar, novamente, de Moleskine a apontar ideias e a ouvir as pessoas.


Câmara de Lobos revitaliza Noite do Mercado
Festa está marcada para dia 22
Data: 17-12-2009

'Reviver as Tradições Natalícias' é como se denomina as festividades que irão acontecer no Mercado do Município de Câmara de Lobos no dia 22 a partir das 21 horas. A iniciativa da Câmara Municipal pretende retomar velhos hábitos da quadra natalícia, e por isso está programou uma noite cheia de animação musical. Entre os convidados musicais estão a Banda Orquestral Os Infantes, o Grupo Folclórico de Santa Rita, o Grupo 'Cânticos de Natal', os Hot Dancers e finalmente os Kontra Band. De destacar que o mercado irá manter as portas abertas ao longo de toda a noite. Quem visitar o local irá igualmente encontrar as típicas iguarias desta época.


Música: David Fonseca - Amazing Grace (ver vídeo)

Take me far away

Hoje a minha tarefa é meter roupa, sapatos e produtos de higiene numa mala. A previsão da minha vida, para as próximas 3 semanas, metida numa grande mala vermelha. Não sei o que me espera no destino. Na Madeira tenho sol, calor, chuva, vento, frio, nuvens tudo num só dia e tudo depende do local onde estou, se no norte ou no sul da ilha.
A mala tem que ir atafulhada de diversas peças de roupa, com as minhas cores preferidas, com as minhas opções mais usadas e com possibilidade de escolha. Já perdi esta minha mala a caminho de Madrid para a voltar a encontrar na véspera da viagem para Roma. Já esteve comigo em vários países e adora viajar. Quando mudei de casa usei mais a mala que caixotes. Esta minha mala é vermelha, tem rodas, chaves, o código é igual ao pin do telemóvel e tem as minhas iniciais e alguns autocolantes colados. Cada vez que a encho de recursos para irmos juntas fazer história longe da rotina tenho que me sentar em cima dela para a fechar. E ela não só aguenta com o meu peso como consegue conservar e proteger a parte da minha vida que coloquei dentro dela. :)




Música: Zoot Woman - We won't break

Before you jump Tell me what you find when you read my mind

Imagem daqui.
À excepção dos livros, quando quero comprar algo para mim não conto a terceiros. Os meus desejos são meus e só meus. Falo discretamente sobre as minhas preferências, apercebem-se das minhas cores preferidas graças aos tons das minhas roupas, conhecem os meus gostos alimentares pelo que como, e sabem que bebo chá e café sem açucar porque nunca mo viram fazer de outra maneira. Adivinhar o que penso o que sinto só pelo tipo de música que ouço, saber exactamente o que oferecer a uma pessoa complicada como eu tem o seu quê de genialidade.
Obrigada.
São poucas as pessoas que conseguem oferecer-me algo
que me deixe sem palavras e com medo... sabes o que gosto e o quero!!!



Música: The Killers - Read My Mind

Put your feet baby, it's Christmas time

Porque pela internet acontecem fenómenos estranhos, descobri recentemente que um dos autores de um dos meus blogs preferidos é minha prima. Prima em primeiro grau. A vida e a distância separou-nos fisicamente no mundo real enquanto no mundo virtual mantivemos a admiração pelo trabalho da outra. A família apoia família. E como ela é uma das organizadoras do Jantar de Natal de bloguistas e twitteir@s da Madeira, deixo aqui aos madeirenses uma sugestão para o serão do dia 30 de Dezembro.

Imbuídos/as do espírito natalício característico da época, temos o prazer de vos anunciar que o tradicional jantar de Natal/Novo Ano da blogosfera madeirense e "twitter" madeirense está agendado para dia 30 de Dezembro, uma espécie de final feliz para o ano 2009, onde engendraremos as principais estratégias para a época bloguística de 2010. Como tal, os/as interessados/as devem inscrever-se nos seguintes locais: no Madeira Minha Vida, no Blog Que Seja Seu ou por e-mail.

Atempadamente o local da reunião da confraria será anunciado, assim que os últimos preparativos estejam ultimados.



Eu já estou inscrita.

Contactem os organizadores: O E. e a minha prima E. ;)

Música: The Killers - Happy Birthday Guadalupe (ver vídeo)

What is there to know? All this is what it is

35 anos de vida em comum! Parabéns!

Existem casais que são feitos para viver juntos para sempre. Existem casais que sobrevivem à diferença de classes e à diferença na formação. Existem casais que lutaram contra tudo e todos para terem o que têm. Casam contra a vontade da mãe da noiva mesmo depois de um namoro de 6 anos (acho eu). Casam pela igreja e com o apoio daqueles que mais os amam mas sem a presença dos pais da noiva. Casam e o noivo de mal desejado passa a genro amado, querido e adorado. Casam, têm filhos, têm crises conjugais, mas o amor prevalece, o amor vence e tem vencido todas as barreiras que lhe colocam à frente. Existem casais que consideram-se mesmo a alma gémea um do outro. Existem casais que consideram a felicidade em ver os seus filhos com a sua alma-gémea. Existem casais que transmitem a esperança de que existe a alma gémea à sua única filha 'solteira'.
A filha abana a cabeça fingindo concordar. Não pode ir contra os pais neste dia especial. :)


P.S1. - Existem também casais que têm dois telemóveis, mas só um funciona! É íncrivel. Depois de tantos anos ainda ouço: "Oh filha, o teu pai tem sempre o telemóvel ligado e qualquer coisa ele sabe onde eu estou."
P.S2. - E com tantos assuntos para falar ao telefone, a minha mãe tinha que falar em alma-gémea? blá blá blá....

Música: Kings of Convenience - Know How

'cause this bright Sun is the only shine I need.

A paixão pelos livros é antiga. Mais antiga que a paixão pelo chocolate, pelo chá! Infelizmente temo que a minha paixão pelos livros é, até anterior, à minha paixão pela vida.
Num fim-de-semana em que tudo doí e os olhos eram as únicas coisas que se mexiam sem esforço decidi ver mais uns filmes. Os escolhidos correspondiam a um critério: ao critério de filmes que raramente vejo porque são adaptações de livros. E eu raramente vejo filmes que já tenha lido o livro.
Desta vez fiz, não uma mas, duas excepções.
"A worker bee weigh less than a flower petal, but she can fly with a load heavier than her. But she only lives for four or five weeks. Sometimes not feeling is the only way you can survive."
O primeiro fiime foi The secret life of bees.
Achei-o bem adaptado e com um elenco muito, mas, mesmo muito bom.
Adoro o Paul Bettany, a Alicia keys esteve muito bem, a Sophie Okonedo esteve excelente, Jennifer Hudson, Queen Latifah e Dakota Fanning iguais a si próprias.
Eu gostei da adaptação e está um filme muito bem conseguido.


A 2ª escolha recaiu sobre um filme cujo livro marcou-me imenso. O livro fez-me vomitar. Sou muito sensível aos cheiros e este livro com as suas exaustivas descrições fez com que eu vomitasse ao ler certas passagens. A do parto foi uma delas.

"There was only one thing the perfume could not do. It could not turn him into a person who could love and be loved like everyone else. So, to hell with it he thought. To hell with the world. With the perfume. With himself. "

O filme O Perfume não é uma grande adaptação do livro. Talvez má escolha no elenco, a adaptação podia estar melhor. O Dustin Hoffmann e Alan Rickman foram boas escolhas, mas o actor principal ... deixa um amargo na boca.
Este filme relembrou-me da verdadeira razão pela qual prefiro os livros aos filmes. Os livros fazem-me sonhar muito mais que os filmes. Os livros levam-me mais longe e tornam-me muito mais imaginativa e criativa.

Música: Sam&Ruby - Heaven's My home (ver vídeo)

She lifts up her glass

Fiquei tão feliz por sentir-te feliz que apeteceu-me dedicar um post a ti.
Tudo de bom, Elsita. ;)

"Where we love is home - home that our feet may leave, but not our hearts."
Oliver Wendell Holmes


Música: The Last Shadow Puppets - Only The Truth (ver vídeo)

We all go round and round Partners of lost and found Looking for one more chance

Preocupamo-nos sempre demasiado com o que pode ser ou o que podem pensar de nós que não temos o merecido descanso mental. Mesmo debilitados estamos sempre ocupados, mentalmente ocupados, fisicamente ocupados e a vida acaba por resumir-se a pequenos instantes. Pequenos instantes que nos marcam para sempre.

Aproveitei algum tempo deste fim-de-semana para ver o filme New York, I Love You. Este filme é a versão americana de um dos meus filmes preferidos: Paris Je t'aime.
Pequenas histórias paralelas. Pequenas grandes histórias que em 5 minutos fazem-nos sorrir, chorar e até sonhar. Em apenas 5 minutos podemos sentir a verdadeira felicidade, a verdadeira paixão, a verdadeira amizade e encontrar o que sempre procuramos.
Por causa dessas várias histórias perdi menos de 1 minuto da minha vida e fui à estante de DVDs e peguei no Paris Je t'aime e coloquei-o no leitor. Tinha que rever o filme.

Porque tudo se pode resumir a 300 segundos da nossa vida. :)







Música: Feist - We're all in the dance

Musicoterapia: Analyse

O nariz parece uma cascata. O corpo doí, os olhos estão vermelhos de tanto ler. As mãos querem teclar ou pegar na caneta e escrever no moleskine. A cabeça não para de processar toda a informação que absorve e na sua mais pura função está a analisar tudo o que tem acontecido e a planear o que pode acontecer.
Será que dormir traz o descanso mental?




Música: Tom Yorke - Analyse

M'mã

58 anos! A mulher mais importante da minha vida faz hoje 58 anos!
No último ano e meio envelheceu mais com a doença do que os outros anos todos em que sempre se dedicou aos outros.
Ter tido e criado 7 filhos sem deixar de trabalhar e sem deixar a política, é obra.
Tivemos maus anos, mas esses maus anos transformaram-se num passado que nos fortaleceu. A Ambas! Temos uma história em comum. Eu fui a primeira. Eu digo, para chatear os meus irmãos, que eu, eu é que fui a desejada. :)
Por causa dela interesso-me pela política. Por causa dela gosto de ler. Por causa dela não gosto de dar erros ortográficos. Por causa dela decoro tudo o que são passwords, códigos e matrículas.
Por causa dela dedico-me a causas e sou capaz de fazer de tudo por Câmara de Lobos.
O gosto pela matemática é culpa do pai. :)

A mulher que nunca descansava hoje está cansada.

A mulher que tinha sempre tempo para tudo, hoje diz que só quer que a deixem em paz.
Ela hoje é uma sombra do que já foi. Com o tempo é inevitável mudarmos e ela mudou imenso com a doença.
Mas, o que interessa, o que interessa mesmo é que ela hoje vai jantar com 4 dos 7 filhos para celebrar mais um aniversário e eu dar-lhe-ei o meu beijo de parabéns dentro de 12 dias.

Feliz aniversário, M'mã!


Música: Yann Tiersen - J'y Suis Jamais Allé (ver vídeo)

What you don't have you don't need it now

Porque qualquer filme com a Abigail Breslin vale sempre a pena.
Este foi o filme do feriado de hoje.

Sem muitos comentários porque há filmes que valem pelas imagens e pela beleza.
A história passa por uma miúda super aventureira que troca email com o seu heroi que afinal é uma escritora que sofre de agorafobia.
O Filme é engraçado e serviu ao propósito de entreter durante uma hora e meia.





Música: U2 - beautiful day

There’s someone in my mind It’s you

(post programado para ser publicado às 16h em ponto). :)


Imagem daqui.





Música: Rita Redshoes - Oh My Mr. Blue

Bittersweet, I could taste in my mouth

Se não tivesse tido a força de ter fechado a porta sem olhar para trás. Se não tivesse tido a capacidade de começar tudo do zero sem nada do passado. Se não tivesse tido a coragem em ser eu. Se eu não fosse pela paz, hoje seria um dia muito complicado.

Todo aquele ruído, todos aqueles mal entendidos, todas as mentiras, todas as omissões,
todas as confusões, todo o mal que me causaste. Todas as palavras que ouvi de ti e que não queria ouvir. Todo o ódio que senti por ti.
Tudo isso está no baú das recordações.

Tudo isso, e se a vingança fizesse parte de mim , hoje iria ser um dia complicado.


Hoje todos os ressentimentos irão ficar à porta quando eu entrar naquela sala de reuniões e encontrar-te.

Irei esticar a minha mão e cumprimentar-te como se não te conhecesse.
Não conseguirei apertar, só consigo fazer isso às pessoas que respeito.
E sabes qual será a parte mais difícil?

A parte mais difícil será não usar as tuas vulnerabilidades para de certo modo vingar-me de tudo o me fizeste passar. Não sou vingativa, mas sinto um amargo na boca cada
vez que penso no anos que dediquei a ti. Não merecia as mentiras.

E a parte mais fácil? Essa é simples. Mostrar-te que sou FELIZ sem ti.

Poder mostrar-te só com o meu sorriso que a frase "tu não consegues fazer nada sozinha" foi mais uma entre as muitas mentiras que disseste.


Imagem daqui.

Música: Coldplay - The Hardest Part (ver vídeo)

Sometimes I'm Up Sometimes I'm done


Harry: I'm leaving Pat. Because I want to be trully happy
Rich: Oh......... What's her name?

Se há algo que não percebo no sexo oposto é a capacidade que têm em viver com uma mulher sem amor, sem paixão, sem que o coração bata mais forte ou sem olhar para ela com aquele ar apaixonado quando acontecem pequenas coisas que fazem do relacionamento o melhor acontecimento da vida de ambos.
A capacidade que têm em desafiar as regras do jogo e serem até capazes de ficar com a namorada do melhor amigo. A frieza com que planeiam a conquista e a destreza com que atacam na hora certa calculando todas as fraquezas do sexo feminino tornando-as em fantásticas oportunidades fazem deles um sexo a estudar. :)

O filme Marrried Life relata um pouco essa capacidade masculina.
As mulheres essas, bem continuamos a fazer tudo por amor e quando apaixonamo-nos por outro evitámo-lo porque não podemos deixar quem nos ama.

A woman needs to be loved, and that's true. But it's not the whole truth. She also needs somebody to love




Música: Louis Armstrong - Nobody Knows the Trouble I've Seen (ver vídeo)

And I know these voices in my head Are mine alone

Há livros que lemos por curiosidade. Há livros que lemos para contrariar alguém. Há livros que lemos porque achamos que pode vir a ser uma surpresa. Há livros que lemos por sugestão de alguém. Há livros que colocamos de lado mal começamos a ler. Há livros que testam a nossa teimosia em ver como acabará. Há livros que nos deixam a duvidar sobre a nossa sanidade mental. Há livros que nos fazem sonhar e querer ser os heróis da história. Há livros que nos marcam para sempre. Há livros que lemos e relemos várias vezes. E depois há aqueles livros que nos fazem pensar sobre que raio estamos nós a ler. Há livros que nem merecem uma segunda leitura. Este é um desses livros. Este é um dos livros que explora alguns dos limites da dignidade feminina.
Este é um livro que, para mim, de erótico não tem nada.
Li uma entrevista com a escritora na Visão e fiquei curiosa.
Comecei a lê-lo ontem à noite e acabei-o pouco depois do almoço de hoje. Se deu vontade de parar? Deu! Se fiz aquela careta de "quem está a comer e não está a gostar"? Fiz.
Mas, a vontade em ler o desenrolar da história foi mais forte.

O Livro não vale a publicidade que estão a fazer! Não vale mesmo!
Para mim é mais um livro de uma menina de 18 anos que tem problemas com a família com um pequeno complexo de Electra e que para resolver os conflictos interiores usa o seu problema de saúde das hemorróidas.

Façam um favor e leiam algo diferente.

Se querem um bom livro com algum conteúdo erótico e com uma história fantástica, leiam Killing me Softly da Nicci French.
Também há o filme que - embora eu seja da velha escola: gosto mais dos livros - está muito bem adaptado. :)



Música: Kelly Clarkson - Addicted (ver vídeo)

a gift to show

De um blog que gosto muito. quero a minha prenda de Natal!
Algo simples e que lembre-me todos os dias a razão da minha existência. :)






Música: Arcade Fire - A very Arcade Xmas

tua rosa, teus espinhos (...) posso magoar-me sete ventos, vinhos e caminhos

Fui convidada pelo NESDlx a escrever um artigo sobre a minha experiência em terras continentais.
Indiferentemente da cor partidária, o objectivo é relatar a nossa vivência como madeirense em terras desse mundo além.
Tive alguma dificuldade em começar, em lembrar-me de pormenores pelos quais passei. Cheguei a sonhar com Coimbra. Não consegui ordenar a minha experiência por ordem cronológica. Não consegui enumerar pequenos incidentes que fazem de mim aquilo que sou hoje.
Mas consegui mostrar, tal como os outros convidados, que ter estudado, ou estar a estudar/trabalhar fora da ilha é dos acontecimentos mais enriquecedores que tive e tenho.

A ordem cronológica, essa é insignificante, pois baseia-se em números, ora vejamos:
- Fui caloira em Coimbra no ano lectivo de 1995/1996;
- Dei um grande passo no sonho de seguir uma vida académica quando, em 2003, participei no CAPSI com um artigo escrito por mim e sobre o meu trabalho;
- Em 2004 desisti da vida académica. O sonho era mais uma ilusão. Não havia grandes perspectivas no horizonte.
- Em 2005 iniciei a minha actividade na blogosfera no livejournal;
- Trabalho em Lisboa desde 05 de Fevereiro de 2005. E até celebrei esse facto aqui no blog quando fiz 1 ano de lisboeta;

Os números fazem-me sentir velha. Presa num passado longíquo.
Gosto mais de dar importância aos acontecimentos, consegue ser mais relevante. Fico presa aos sentimentos, desses não consigo fugir.
Foi com base nos acontecimentos, no impacto que os mesmos tiveram na minha vida que escrevi o artigo.
Espero que gostem.
Eu gosto de todos os artigos, são todos diferentes, todos iguais.

Gostaria de destacar o artigo da Margarida, a mais igual entre nós, os diferentes! :)





Música: Clã - Aqui na Terra

Musicoterapia: Ára Bátur

Adoro esta música! Adoro! Adoro! Adoro!


Para aqueles a quem a música não diz tudo, tradução da letra aqui.
Música: Sigur Rós - Ára Bátur