Querido Diário #01

Hoje foi um daqueles dias. 
O dia parecia não chegar ao fim, o cansaço imensurável que se apoderou de mim trouxe também a tal dor intestinal que uma vez instalada só faz com que o corpo peça descanso.  Disfarcei o sorriso para que os colegas de trabalho não se apercebessem do turbilhão que é a confusão da minha mente. Fingi gargalhada para animar o grupo. E dei atenção redobrada quando estava a receber informação que pode me ajudar no futuro. Só que a ignorância de continuar a não saber que doença é que tenho entristece-me. 
E eu questiono-te, querido diário, porquê é que não posso ter momentos de puro relaxamento quando quero e tenho que chegar a casa e ainda fazer jantar depois de 13 horas de trabalho? E para não falar em engomar. Porquê é que os verdadeiros momentos de felicidade estão agendados? Porquê é que tudo tem que ter o seu momento?  Porquê é que afinal ainda crio expectativas? Porquê é que só me apetece chocolate? Porquê é que sinto-me tão triste hoje?

Resposta do Diário: Chegou-te o período.

Sem comentários:

Enviar um comentário