Divagações #13

Consumo-me a mim própria. Trato da fachada e por dentro não cuido nada. Elevo sempre as expectativas, aumento a desilusão e prospera a tristeza. Sofro por antecipação. Luto, sou sincera, sou pró-activa, sou operacional e as más energias parecem apoderarem-se da realidade e acabam por não reconhecer o meu esforço ou ignoram o meu papel. Há dias em que me sinto transparente, inútil e sem um objectivo. 

Hoje, como conselho matinal recebi a frase: "Não te consumas". 
Pensei, às vezes penso demasiado, e pensei muito até perceber que o que devo fazer é mesmo esperar (com mais paciência) para alcançar, porque mereço, mereço tudo! 

Fui consumida pelo positivismo. 
Fonte da imagem: Duma

Sem comentários:

Enviar um comentário