O que move uma moça São os sonhos de criança Que a Terra ainda não comeu

Imagem retirada do site blitz.pt


Não fiz camadas no meu Ser só para ti 
Nem escolho no meu espaço o que há a mais 
Ou qual o mais profundo sentimento que há em mim 

Via em cada passo dúbio que tu dás 
os meus ficando mudos de ir atrás. 
E a par do mundo o movimento segue, enfim. 

Se de um porto não passa 
Não esperem que eu lhe faça 
Ancoras no meu Ser. 

Que o que move uma moça 
São os sonhos de criança 
Que a Terra ainda não comeu.




Concerto, hoje no Centro Cultural Olga do Cadaval.

Sem comentários:

Enviar um comentário