Do amor e outros demónios #20


Nem sempre tudo o que leio sobre a morte emociona-me.
Mas há situações em que é impossível conter, principalmente quando é de um pedaço de nós que falam.  

Reportagem do P3 

5 comentários:

  1. Também li essa reportagem e fiquei com um nó na garganta. :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha cunhada disse na entrevista o que me diz diariamente: o pior é à noite.
      E a minha sobrinha é tão parecida com o meu irmão que às vezes só de olhar para ela, choro.

      É olhar mesmo a vida com outros olhos.

      Eliminar
    2. A rapariga da entrevista é a tua cunhada? :(
      Como é óbvio, não me consigo colocar nessa posição... mas acho mesmo que o pior (mas ao mesmo tempo o melhor) é ver os filhos a crescer e serem parecidos com os pais que já não estão cá para os acompanhar.

      Eliminar
    3. Sim, é a viúva do meu irmão. :|

      Eliminar
    4. não tinha associado.... (também não sabia o nome)
      quando li a reportagem lembrei-me de uma rapariga cujo marido (vá, não sei se eram casados mas pelo menos viviam juntos e tiveram um filho o ano passado) morreu na altura do Natal. foi uma história que me tocou.

      Eliminar