Kandandu Angola #4.07

Viagem número 4. 
7ª semana passada em Angola.

Depois dos múltiplos problemas com o Visto cá estou no país que me tem acolhido de braços abertos mas com olhar desconfiado. E uso a palavra desconfiado porque tenho tido alguns problemas em obter visto. Apesar da burocracia do processo já consigo tratar dos meus papeis em menos de uma hora. O processo no consulado é que não é tão ágil quanto devia. O plano de trabalhos foi-se todo por água abaixo por causa dos vistos! Vim cá uma semana em finais de Agosto e regressei na passada segunda-feira, mesmo quando devia ter regressado no domingo. O atraso de 24 horas deveu-se ao facto de o visto só ter ficado pronto na segunda o que causou uma carga de trabalhos à personal assistant da empresa que estava responsável por tratar da viagem. Muito trabalho foi feito a partir de Lisboa e devo agradecer ao tipo de ligação que o cliente possui. Os acessos PT-AO-PT têm funcionado muito bem. 
Nesse aspecto considero-me uma privilegiada porque o cliente tem excelentes condições de trabalho.

Tive uma péssima experiência numa pensão de nome Fátima. Agora estou num apartamento que uma empresa parceira tratou de arranjar para mim. Divido o apartamento com mais duas raparigas, uma que trabalha na RTP e outra numa empresa de segurança e ... tenho cozinha. :)
O que tinha de mal a pensão? Tudo. Eu sou esquista como o raio! O colchão tem que ser duro e a almofada também. E por favor, se dizem que são uma pensão, que tenham pelo menos água quente e fruta ao pequeno-almoço...  Além dos problemas de costas, ganhei um torcicolo! Hoje já estou melhor. O que me irritou na pensão? Mais uma vez tudo. Uma coisa é o que vou fazer este fim-de-semana que é acampar em Cabo Ledo e já sei o que me espera. Mas ter que estar apresentável, maquilhada e acordar mal disposta porque a cada movimento sentiamos a cama mole ou o barulho do bar lá perto e nem ter água quente para lavarmos o corpo suado da noite mal dormida... meus amigos, assim não consigo ser produtiva! Lamento. E eu até gosto de tomar banho de água fria, mas ADORO uma noite bem dormida apesar de dormir pouco. 
Como tudo tem solução pedi para mudar e consegui o que queria. A pensão onde fiquei das outras vezes não tinha vagas, daí ter tido esta confusão toda. O que aprendi naquelas duas noites? Voltar a não julgar um edifício pelo seu exterior. Porque esta pensão tem muito bom aspecto visto de fora.
Em relação ao apartamento... O Apartamento tem cozinha o que significa que posso fazer as minhas comezainas madeirenses e partilhar com uma cabo-verdiana e com uma luxemburguesa. Para os poder fazer mudei de supermercado. A mercearia Shoprite já não chega para as encomendas e por isso fui ao Jumbo.  Eu e o Domingos. O Domingos faz sempre os primeiros trajectos comigo. Sempre. Depois disso já consigo fazer sozinha e acho piada conduzir em Luanda, mas isso será outro post. :)
O Jumbo... Como descrever o Jumbo de Luanda? Nem sei por onde começar. O meu sorriso começou a alargar-se ao ver os seguranças ao chegar ao parque de estacionamento. Os seguranças estão lá sentados e nada fazem. A organização no estacionamento não existe. Os carros estão quase uns em cima dos outros. O supermercado é semi-organizado, depois da confusão à entrada e à medida que percorremos alguns corredores já conseguimos encontrar os artigos que queremos. A quantidade de pessoas nas compras surpreendeu-me. O Jumbo parecia o Continente quando lança aquelas promoções de 75% ou no Natal. Os carrinhos estavam cheios de artigos. Dei por mim a pensar que nem no Natal os meus pais enchem o carrinho de compras daquela maneira ... e nós somos quase vinte pessoas à mesa durante dois dias. Não encontrei os meus cereais e nesse corredor achei curioso só encontrar Nestum mel, Nestum Arroz, Nido e Chocapic. Depois de ter o meu cesto cheio dirigi-me à caixa onde realizei o pagamento. E recebi o troco em dinheiro e uma sopa de pacote.  Em todos os supermercados de Luanda onde realizei compras recebi sempre algum troco em rebuçados. Lembro-me de fazerem isto na mercearia ao lado da casa dos meus avós maternos. Cá em Luanda parece que é normal. Até numa grande superfície. Depois de mostrar o talão de compra e as compras ao segurança à saída do Jumbo a verdadeira aventura começa. Não conseguiamos sair do estacionamento. O carros estavam estacionados de acordo com o capricho dos seus donos e nos sítios onde devia estar uma passagem estavam dois ou mais carros. Estivemos meia-hora para sair de lá. 

Hoje é o dia do Herói Nacional. É feriado cá em Angola
"O dia 17 de Setembro, data de nascimento do fundador e primeiro presidente da República de Angola, António Agostinho Neto, é considerado Dia do Herói Nacional, devido ao seu contributo dado na luta armada contra o colonialismo português e pela conquista da  independência nacional." (fonte Komunidade.net)
Feriado é sinónimo de festa. E a festa começou ontem. Churrasco na rua, cerveja e muita música. Música muito alta! Todos têm altas aparelhagens, juntam-se com carne e carvão e lenha e pronto ... arraial a noite toda. Noite e manhã, porque só pelas 14horas é que comecei a sentir Luanda mais calma. 


Amanhã vou para Cabo Ledo. Vou passar lá o fim-de-semana. Vou acampar e não vou queixar-me da dormida, porque sei para onde vou e não tenho a responsabilidade de no dia seguinte estar apresentável e pronta para ser consultora. :)
A surpresa desta semana foi terem chegado ao pé de mim* e dizerem:
- Sabias que o teu Roque acabou?
A feira que tinha de tudo. A feira, a que eu queria voltar, foi fechada. :(

* Acho que já não sou a consultora branca que pretende desmaterializar os processos.

4 comentários:

  1. Também fui ao Jumbo quando estive aí e... uau... aquilo é mesmo indescritível. A quantidade de gente por todo o lado, o caos para conseguir estacionar, para entrar, para pagar, para sair... só visto mesmo.

    O mais engraçado: para o pessoal de Luanda, o Jumbo é uma salvação porque é o supermercado mais barato. Cá? Eu diria que o Jumbo é dos hipermercados desse estilo com coisas mais caras.

    Porque é que acabaram com a feira do Roque?

    ResponderEliminar
  2. Por questões de higiene e segurança e organização!
    É que a feira... bem, a organização era 100 vezes pior que o estacionamento do Jumbo. :)

    OS feirantes mudaram de sítio e agora parece que há uma organização governamental a controlar a coisa!

    T. aquela feira até tinha prostituição a céu aberto. Sim, por 100kwanzas miúdas de 12/15 anos fazem sexo oral. :(

    E sabes o que vão construir no espaço de 400 campos de futebol que anteriormente estava ocupado pela feira? Vários condomínios fechados. :(


    Outra coisa, da experiência que tenho, o Jumbo não é o supermercado mais barato. É sim, o supermercado onde vão para serem vistos. Isto pelas conversas que tenho ouvido. ;)

    ResponderEliminar
  3. Nãooo.. o supermercado onde o pessoal vai para ser visto é o "Frescos" (qualquer coisa assim... já não me lembro do nome".

    Tb fui a supermercados mais baratos que o Jumbo aí, mas eram mais estilo minipreço e lidl do que jumbo e continente. ;D

    ResponderEliminar
  4. Esse é o do Belas Shopping?
    Eu e os centros comerciais não nos damos bem! Nunca lá fui!
    :P

    Eu achei o Jumbo com muito mau aspecto para "Jumbo".
    Sinceramente gosto mais do shoprite ou do supermercados cardoso, ou o senhor Coli ou Mafa.

    Já agora, qual farmácia achaste melhor?
    È que já fui a três e não tem o meu nasomet! :(
    - Uma no Bairro Azul,
    - Uma cá na Maianga,
    - Uma no Kinaxixe
    E já estou a ficar 'àrrasca' da sinusite. :(

    ResponderEliminar