Da florzinha de estufa que sou

Um fio, um fio nas meias que hoje usei, um fio que alargou e que parecia uma cratera, uma cratera cujas bermas estavam em contacto constante com a pele das minhas pernas. Um fio, um pequeno fio fez com que a pele da minha perna direita esteja em carne viva. 
Tenho neste momento o desenho de uma elipse em carne viva na minha perna.


Porque é que decidi usar hoje um vestido com meias de vidro pretas? 
Por alguma razão a minha gaveta de meias é só meias opacas e grossas.




Sem comentários:

Enviar um comentário