Filme: Elles (2011)



Um dia discuti com uma amiga sobre o papel das prostitutas, do respeito que tenho por elas, da admiração que tenho na capacidade que têm em realizar o trabalho delas com sorriso, e da estranheza que deve ser deixarem servirem-se do seu corpo... assim. 

O filme, em França, foi desaconselhado  a menores de 17, e percebe-se o porquê. 
Uma jornalista está a escrever um artigo sobre estudantes universitárias cujo part-time é prostituição (não é bem um part-time, mas apeteceu-me escrever a palavra, soa menos dramático). Numa investigação que de nada tinha de complexo, a vida das duas miúdas entrevistadas afecta a sua visão sobre a profissão mais antiga do mundo, alterando até a sua maneira de estar consigo própria encarando o sexo de forma diferente. 
Excelente interpretação de Juliette Binoche


A frase do filme, para mim,  é algo mais ou menos assim
Charlotte: Sabe, acho que ainda carrego o cheiro de tudo aquilo. 
Anne: Sim, eu sei. Deve ser terrível. Experiências terríveis. 
Charlotte: Oh, não estou a falar disso. Falo de algo pior que sexo oral.
Anne: Desculpa, não estou a perceber.
Charlotte: Claro que percebe, o cheiro do condomínio, o apartamento com falso conforto,..., posso ler Flaubert como toda a gente, ou Proust ... mas isso não muda o que sou. Percebo muito bem que jamais serei como tu. Que não sou... 
(as palavras foram escritas à pressa por mim, no telemóvel, no escuro do cinema) 

Sem comentários:

Enviar um comentário