Fim-de-semana

No fim-de-semana tive a casa cheia. A S. - minha amiga de infância da Madeira - veio passar uns dias ao Continente :) e o sábado e domingo passou-os comigo.
Com ela veio o marido e a filha de dois anos, a I. que encheu a minha casa de barulho...
Ficaram lá em casa... dormiram lá em casa.

Gostei muito de passar 24 horas com ela. Matámos saudades, colocámos a bilhardice em dia, passeámos pelo Parque das Nações e não falámos de política.
A filha dela está enorme e fala pelos cotovelos.
O marido continua igual.

E a S. não evitou de me mandar as bocas do costume, e como a boca sobre o casamento já passou de moda, agora os recadinhos passam por "E para quando um filhote?".

Minhas amigas... Meus amigos...
Eu tenho 6 irmãos, e cuidei de 3 como se fosse a mãe, eu e a minha irmã erámos as amas deles enquanto as nossas amigas brincavam com as bonecas.
O sentimento de querer ser mãe foi absorvido por completo pela minha irmã.
Eu absorvi o de querer ser a melhor irmã e melhor tia. ;)

Adoro crianças... desde que elas não me absorvam.
E durante este fim-de-semana percebi que nunca, nunca conseguiria ser mãe. Não tenho pachorra para andar sempre a dar atenção a alguém... não consigo, não é do meu feitio.

Mas, gostei muito de ter a minha amiga por cá e a I. também. ;)
Fez-me bem passar 24 horas com uma amiga.