Do amor e outros demónios #24


Vieram-me perguntar como me sentia com a publicação das fotos do casamento dele, no facebook. 
Respondi que tinha aderido ao projecto 99 days of freedoom e que não sabia de fotos nenhumas, que ficava feliz pelo casamento e triste por ele não ter sido fiel a um princípio que era não querer casar.
Depois dei por mim a pensar, o que pode ter acontecido é que ele no passado - durante os 9 anos em que estivemos juntos - ter me contado uma mentira só porque eu afirmava que casamento nunca, e ele por "amor" demonstrado que estava em sintonia. O amor tem dessas coisas.  

Depois de tanto me chatearem, acabei por ir à rede social. Perdi o desafio dos 99 dias sem facebook e descobri que adicionaram-me a um girly group (yey), que tinha 6 pedidos de amizade, tinha 2 mensagens por ler, e imensa música por ouvir. 

Sobre as fotos dele, vi, não comentei, não fiz like (não faz da minha personalidade fazer likes só porque é politicamente correcto) e questionei-me sobre como é que duas pessoas que parecem ser tão amáveis conseguiram ser tão sacanas comigo? A questão teve resposta automática. Quando estamos a descobrir a paixão por outrém raramente conseguimos ver além do nosso objectivo, doa a quem doer. O amor tem dessas coisas. Já os tinha perdoado, nunca esqueci o que me fizeram, e até terem me chateado por causa das fotografias tinha esquecido a sua existência. Porque o que está no passado é história e o que interessa mesmo é o que sou hoje. 



1 comentário:

  1. Conseguiste perdoar? Nem sabes o quanto te invejo! Até hoje é coisa que não consigo fazer e acho que nunca irei conseguir...

    ResponderEliminar