Take your aim when you take a shot

Nunca pensei que estar sozinha com a minha mãe mais de 24 horas fosse tão complicado e tão estimulante.
Estamos só as duas, ela tem consulta hoje à tarde e depois vamos tentar ir embora ao final do dia ou amanhã de manhã.

Os discursos entre nós mudaram.
Já consigo falar dos meus problemas com ela. Ela fala-me dos dela.
Ela comentou pormenores comigo que nunca sonhei ouvir.
Eu finalmente contei-lhe todos os pormenores da minha separação com o G. - quase 18 meses depois - e não me emocionei.
Contei-lhe da quantidade de trabalho que tenho e dos projectos em que posso estar envolvida.
Contei-lhe das coisas que quero fazer num futuro próximo.
Contei-lhe que penso em sair de Portugal.
Contei-lhe que quero tirar carta de moto e que nunca a tirei aos 18 anos porque o Pai não deixava.
Contei-lhe de tanta coisa...
E ela ouviu e falou comigo sobre outras tantas coisas.

Ela falou comigo como se fosse uma "amiga" dela.
Ela nunca tinha tido esse comportamento comigo.
O meu melhor amigo sempre foi o meu Pai.
Eu e a minha mãe sempre tivemos uma relação um pouco para o fria.
Mas, desta vez, houve momentos em que pensei que o Mundo estava ao contrário.
Principalmente quando ela me disse: "tens é que arranjar um namorado que o stress desaparece".

A minha mãe virou minha "amiga"?




Música: OceanShip - Hotblack

3 comentários:

  1. Então foram umas 24h muito bem passadas ;)

    ResponderEliminar
  2. As mães às vezes surpreendem-nos tanto não é? :) São seres fantásticos!

    ResponderEliminar
  3. o teu blog da vontade de chorar...

    ResponderEliminar