O “Corpo e Matéria” da Madeira

Notícia na TimeOut:

"É da Madeira que vêm alguns dos nossos tesouros. Seja a banana, o vinho ou a arte. Foi na Madeira que cresceu Joe Berardo, esse paradigma do sucesso e da riqueza ligada à arte. É assim lógico que o Sintra Museu de Arte Moderna, que acolhe também a Colecção Berardo, abra as suas portas aos artistas vindos dessas ilhas, tão próximas mas por vezes distantes do nosso conhecimento.
A exposição “Corpo e Matéria – Cinco Artistas da Madeira” traz-nos imagens que lá por serem oriundas de uma terra isolada não reflectem necessariamente essa realidade. São artistas que optaram pela exploração de um tema presente desde sempre na arte: o corpo. O corpo entendido no sentido não só de fisicalidade como de matéria plástica em si. Esta exposição esteve já patente no Centro das Artes – Casa das Mudas, na Madeira. Agora em Sintra podemos ver obras de Nini Andrade Silva, DDiArte, Emanuel Aguiar, Sílvio Sousa Cró e Bridget Jones (não a dos filmes, uma outra). São artistas pouco conhecidos, mas alguns deles de impacto assegurado. Bridget Jones é a única não natural das ilhas. É uma inglesa que escolheu a Madeira como porto de abrigo.
Também o comissário desta exposição é um outsider. Romaric Sulger Büel explica o conceito da mostra: “O corpo e a matéria formam na realidade um tema único, porque o corpo é o próprio prolongamento da matéria do qual ele vem e ao qual voltará. Cinco artistas apresentam cinco caminhos diferentes, cinco explorações, às vezes opostas, mas sustentados pela mesma relação. Um denominador comum, uma terra, um espaço: entre o céu e o mar. Desta ilha eles desenvolvem um trabalho, cada um com as suas especificidades, compondo e recompondo um corpo em questão, um corpo que cada um deles recria através da sua própria visão artística.”
Se nesta selecção há surpresas (umas boas, outras nem tanto), uma delas são os órgãos ou membros metálicos, captadores de sentidos em esculturas “costuradas” de Sílvio Sousa Cró. O destaque maior é merecido pela dupla DDiArte (Diamantino Jesus e Zé Diogo). Nas suas fotografias digitalmente manipuladas, o corpo é apresentado de forma hedonista, por vezes narcísica e desvitalizada, recorrendo aos canones clássicos da beleza, trabalhando questões do belo e do grotesco. Esses mesmos cânones de perfeição e proporção são idolatrados e celebrados, numa linguagem que anda entre a das artes visuais e a da publicidade. Pelo lado menos positivo da exposição, não conseguimos perceber como é que as banais fotografias de Bridget Jones, retratista de celebridades, foram parar a esta colectiva. Vá ver a Madeira em Sintra e entregue-se de corpo e matéria às propostas destes artistas.


“Corpo e Matéria” está no Sintra Museu de Arte Moderna – Colecção Berardo (Av Heliodoro Salgado), terça a domingo das 10.00 às 18.00. A entrada custa 3€, mas há descontos. Grátis aos domingos entre as 10.00 e as 14.00. "

Já sei onde ir no próximo fim-de-semana. :)